Revendedores

Veja quais são os passos iniciais para montar uma lanchonete e os caminhos indicados para ter sucesso com o seu estabelecimento!

O setor de alimentação é sempre bem promissor e pode proporcionar um bom retorno financeiro para quem deseja investir nessa área. Saber como montar uma lanchonete e qual é o passo a passo para colocar o plano em prática é fundamental para que você tenha um início mais acertado.

Elaboramos uma lista com 8 passos necessários para abrir o estabelecimento e como cada um deles influencia as suas operações com o comércio de lanches. Quer saber quais são eles? Então, continue a leitura e confira agora mesmo!

Passo 1 – Analisar o público-alvo

Independentemente do seu ramo de atuação, é fundamental que se conheça o público-alvo da empresa, ou seja, o perfil daquelas pessoas que têm grandes chances de se tornarem clientes e gerarem faturamento para a sua lanchonete. Entre as características que você pode considerar, estão:

  • faixa etária;
  • preferências de consumo;
  • renda média;
  • localização.

Passo 2 – Escolher o ponto

Outro fator importante que deve ser estudado antes de abrir a lanchonete é a localização do ponto. E não pense que a ideia de “quanto mais movimento melhor” é o único fator que deve ser levado em conta aqui. A rotatividade de pessoas é essencial, porém, de nada adianta se elas não estão dispostas a consumir o que o estabelecimento oferece.

Portanto, analise bem as possibilidades e lugares disponíveis e, junto ao conhecimento do público-alvo da região, busque por pontos estratégicos. Estabelecimentos próximos a escolas, faculdades e prédios comerciais costumam ter bastante movimento.

Todavia, vale lembrar que esses pontos são mais procurados. Isso significa uma concorrência maior e preços de aluguéis mais caros que em outros locais menos movimentados. Por isso, o orçamento também deve ser respeitado na hora de escolher o melhor local.

Passo 3 – Levantar o capital para investimento

O capital necessário para investimento varia muito de acordo com a proposta do negócio. De maneira geral, os aspectos que mais influenciam são o aluguel do ponto, a aquisição de mobília, os equipamentos necessários, a compra de produtos e a contratação de pessoal.

É claro que estabelecimentos maiores e mais bem-equipados custarão um valor maior do que aqueles que começam menores. Organize um orçamento e faça cotações de preços para tudo que você pretende adquirir e, a partir daí, será mais fácil identificar os valores necessários. Não se esqueça de incluir um capital de giro nessa conta, combinado?

Passo 4 – Adquirir os equipamentos

Aqui, entramos mais uma vez no tipo de público que a lanchonete vai atender, já que ele determinará o tipo de produto que será oferecido. É aí que você consegue saber quais são os equipamentos necessários para a produção.

Em geral, os itens mais necessários, independentemente do cardápio a ser servido, são:

  • balcão climatizado;
  • freezer;
  • geladeiras;
  • liquidificador e espremedor de frutas;
  • fogão, forno e coifa;
  • fritadeira e chapa;
  • estufa;
  • utensílios básicos de cozinha — talheres, pratos, copos, guardanapos etc.

Além desses, ainda existem outros que fazem parte da rotina de qualquer estabelecimento, como a máquina registradora, maquininha de cartão, mesas e cadeiras.

Passo 5 – Obter a documentação

É preciso passar por toda parte burocrática que envolve a abertura de um negócio, o que significa obter toda a documentação, os registros e as autorizações necessárias para o funcionamento. Por se tratar do ramo da alimentação, as lanchonetes acabam sofrendo exigências diferentes, como é o caso da autorização da vigilância sanitária. 

Em resumo, estamos falando de cadastro de CNPJ, registro na Junta Comercial, autorização da Secretaria da Fazenda (SEFAZ) e o alvará de funcionamento. A contratação de um contador, além de ser uma exigência legal para as empresas (exceto MEIs), pode ajudar bastante a entender a burocracia e a tomar as melhores decisões para o seu negócio, principalmente na parte tributária.

Passo 6 – Encontrar fornecedores

Encontrar bons fornecedores é essencial tanto para oferecer produtos de qualidade para os consumidores quanto para ter poder de negociação na hora de comprar os alimentos. Nessa hora, o melhor a se fazer é um estudo detalhado das opções disponíveis no mercado.

Sempre escolha aqueles que podem oferecer diferenciais, como:

  • qualidade dos produtos;
  • agilidade na entrega dos produtos;
  • custo-benefício satisfatório;
  • facilidades de pagamento.

Passo 7 – Montar o cardápio

O cardápio será uma das suas principais vantagens para vencer a concorrência. De nada adianta abrir a lanchonete se os clientes não têm o que escolher ou não vejam diferencial, em relação aos outros estabelecimentos.

A dica aqui é: menos, é mais!

Um cardápio muito variado pode ser um grande problema para quem acabou de abrir o estabelecimento, já que quanto mais possibilidades de escolha, maior terá que ser o investimento em produtos para produzi-los.

Outra condição desfavorável de um cardápio muito variado, é a possibilidade de pouca saída do produto, fazendo com que ele ultrapasse seu prazo de validade e não gere o retorno esperado do investimento.

Portanto, aposte em poucas opções inicialmente, dando prioridade aos itens de maior demanda. Uma boa dica para diversificar, é apostar em novidades semanais, com um prato que fique em destaque para chamar a atenção do público.

Por exemplo: uma bebida ou um lanche exclusivos durante a semana podem atrair a atenção dos consumidores e ajudar a aumentar o movimento na lanchonete. Dependendo da aceitação, você pode, posteriormente, integrá-lo ao cardápio, conseguindo mais uma opção que terá maior certeza de saída.

Passo 8 – Investir em publicidade

“Propaganda é a alma do negócio”. Não é à toa que existe esse famoso clichê no ramo dos negócios. Quando mais divulgada a sua lanchonete for, maiores são as chances de a sua marca ficar conhecida por um público mais amplo.

Por isso, separe parte do capital para fazer publicidade. Além de panfletos para distribuição, vale a pena criar e gerenciar perfis nas redes sociais. Nelas, o investimento é menor, mas trazem um excelente retorno, uma vez que você pode segmentar o público e pode alcançar até mesmo pessoas de regiões próximas (que não teriam conhecimento do seu negócio se dependesse só da divulgação tradicional).

Agora que você já sabe como montar uma lanchonete, pode dar início aos processos. Com um planejamento bem-estruturado e o passo a passo que mostramos, fica um pouco mais fácil se organizar.

Ficou alguma dúvida sobre o tema? Aproveite os comentários para compartilhar suas opiniões sobre o assunto e participar da conversa!

Posts Relacionados

COMPARTILHE ISSO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *